Amargosa Notícias - Informação com credibilidade. Todas as novidades sobre Amargosa e região. (Notícias, Política, São João, Entretenimento, Salvador, Esportes, São Miguel das Matas, Elisio Medrado, Valença, Varzedo, Santo Antonio de Jesus, Cruz das Almas, Milagres, Nova Itarana, Salvador, Feira de Santana, Laje, Mutuipe)

Brasil — 16 de abril de 2019 às 8:48

Joseildo diz que MP do Saneamento transforma água em mercadoria e penaliza os mais pobres

Joseildo diz que MP do Saneamento transforma água em mercadoria e penaliza os mais pobres


O deputado federal Joseildo Ramos (PT) criticou, nesta segunda-feira (15), durante Audiência Pública provocada pela Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU), a Medida Provisória (MP 868), enviada no apagar das luzes do governo Temer para alterar o Marco legal do Saneamento no país. Em pauta no Congresso, a medida abre caminho para a privatização dos serviços e aumenta a desigualdade, de acordo com o parlamentar.

“Na privatização, o que vai acontecer é o deslocamento de recursos públicos, financeiros ou não, para a elite, em desfavor da maioria da população. De todos os serviços públicos, o espelho da degradação ambiental e da desigualdade é exatamente o saneamento. Privatizar é transformar água em mercadoria, penalizar os mais pobres e principalmente nós do Nordeste”, criticou.

Em sua intervenção, Joseildo ressaltou ainda que de 2007 a 2016, durante os governos de Lula e Dilma, mais de R$ 100 bilhões foram disponibilizados na área do saneamento pelo poder público, sendo que R$ 85 bilhões foram contratados. Segundo o deputado, a MP vai na contramão do que têm feito outros países, desestrutura o setor, aumenta as tarifas de água e esgoto e enterra o sonho de universalização do serviço. “É preciso que estejamos juntos, ninguém solta a mão de ninguém. Precisamos combater essa medida. Vamos à luta e não à MP 868,” conclamou o público presente na Audiência.

Compartilhe

Notícias Relacionadas

Sobre o Autor

Edson Andrade

(0) Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *